Home » Uma Guerra Sem Igual: Como Atenienses e Espartanos Lutaram na Guerra do Peloponeso by Victor Davis Hanson
Uma Guerra Sem Igual: Como Atenienses e Espartanos Lutaram na Guerra do Peloponeso Victor Davis Hanson

Uma Guerra Sem Igual: Como Atenienses e Espartanos Lutaram na Guerra do Peloponeso

Victor Davis Hanson

Published 2012
ISBN :
Paperback
518 pages
Enter the sum

 About the Book 

Exímio historiador militar, Victor Davis Hanson nos tem propiciado descrições meticulosas e inovadoras de guerras ocorridas desde a antiguidade clássica até o século XXI. Em Uma guerra sem igual, o escritor dá substância a um conflito de 30 anos a fim de torná-lo mais humano e, assim, permitir que a guerra seja mais do que uma remota luta de uma era distante.Ao longo de quase três décadas, há 2.400 anos, as cidades-estados helênicas de Atenas e Esparta envolveram-se em um conflito sangrento que resultou no colapso de Atenas. Embora o número de escritos sobre essa guerra seja vasto, Victor Davis Hanson nos oferece uma abordagem nova. De maneira cronológica, ele faz um relato completo que reflete os antecedentes políticos da época, trazendo também uma importante compreensão de como esses acontecimentos ecoam nos dias atuais.O autor retrata como atenienses e espartanos lutaram na terra e no mar, em cidades e áreas rurais, e detalha o emprego de amplo escopo de táticas, desde sítios até assassinatos planejados, tortura e terrorismo. Também avalia os papéis cruciais desempenhados por guerreiros como Péricles e Lisandro- artistas como Aristófanes- e filósofos como Sófocles e Platão.A perceptiva análise de eventos e personalidades sugere muitas questões sobre as quais vale à pena refletir: foram Atenas e Esparta como os Estados Unidos e a União Soviética, dois superpoderes que lutaram duramente? A Guerra do Peloponeso teria ecos nos intermináveis e frustrantes conflitos no Vietnã, na Irlanda do Norte e no atual Oriente Médio? Ou teria sido mais semelhante à própria Guerra Civil americana, uma ruptura brutal que desfez o tecido de uma sociedade gloriosa, ou mesmo à cisma do presente século entre liberais e conservadores, uma guerra cultural que manifestamente controla políticas militares?